O que nos conta os contos de fadas?

As histórias encantadas são repletas de conteúdos simbólicos e exercem um grande fascínio em crianças e adultos. Uma capa vermelha, um sapatinho de cristal ou um gancho no lugar da mão automaticamente nos transportam para o mundo dos contos de fadas onde a fantasia e o mundo real se misturam.

Realidade sim! Muito do que o ser humano vive emocionalmente no cotidiano aparece refletido nas histórias infantis. Podem ensinar principalmente as crianças que passam por descobertas e vivências emocionais intensas e ainda estão elaborando e entendendo o que são os sentimentos. Uma menina que vivencia o abandono pode se sentir atraída pela história do Patinho Feio ou Cinderela, por exemplo.

A identificação não é consciente, mas de alguma forma a criança percebe que o seu conflito também é vivido pelo personagem principal e a aproximação acontece. A partir daí o espectador pode aprender, juntamente com o personagem, que tem na sua jornada importantes passagens e ensinamentos.

É freqüente ver uma criança pedindo repetidas vezes para ouvir uma mesma história. Isso ocorre pois algo no enredo a tocou e gerou uma identificação fazendo com que a criança queira ouvi-la novamente. Percebe, inconscientemente, que pode aprender algo emocionalmente importante com aquela narrativa.

Através do conto o pequeno embarca num mundo de emoções e observa qual foi a solução encontrada na história para os conflitos em questão. Isso o ajuda a elaborar melhor seus sentimentos e encontrar saída para alguns dilemas emocionais reais.

O que é possível aprender?

Exemplificando com o conto resumido de João e Maria: a história fala sobre dois irmãos que são abandonados na floresta pelos pais por não terem como alimentar toda a família. Na floresta eles encontram uma casa que é feita de guloseimas e se fartam de tanto comer. A dona da casa é uma bruxa que tornam os irmãos seus reféns. Eles conseguem se livrar da maldosa e voltar para a casa do pai que estava muito arrependido de ter abandonado os filhos.

Na história mencionada podemos escolher dois aspectos significativos dos personagens que são os recursos da coragem e criatividade. João e Maria são crianças espertas, pois percebem que correm perigo e escutam o plano dos pais. João com sua criatividade rapidamente encontra uma solução para achar o caminho de volta quando os pais os deixarem na floresta: espalhar pedras pelo trajeto e depois segui-las até chegar a casa. Outra situação que demonstra isso na história é a bruxa que alimenta João para que ele engorde e ela possa comê-lo. Porém, ela não enxerga bem e para saber se João está no “ponto” sempre pede para ele mostrar o dedo. Nessa hora ele mostra o osso de galinha ao invés do próprio dedo para tentar prorrogar o perigo e consegue.

Mas, a bruxa só é derrotada de fato por Maria e sua grande coragem. A menina sempre com medo, tanto da floresta quanto da feiticeira, percebe que a maldosa está querendo matá-la quando a bruxa pede para ela ficar bem próxima ao forno e ver se está quente o suficiente. A menina tem a idéia de dizer que não sabe como fazer isso e pede para que a bruxa demonstre como é. Assim, Maria aproveita a situação e dá um empurrão muito forte na bruxa. Ela cai dentro do forno e a menina fecha a portinhola de ferro.

Reflexão

Os personagens dessa história, e de tantas outras, ensinam principalmente que nenhum mal é tão grande que não possa ser derrotado. Usando a criatividade e a coragem João e Maria utilizam seus próprios potenciais para vencer.

Essa é uma mensagem importante contida no conto. Através do lúdico o espectador assimila o ensinamento mais facilmente e pode então incorporá-lo à vida real, estimulando-o a exercitar também a inteligência e a coragem para enfrentar suas dificuldades, com a confiança que o desafio poderá ser vencido.

Esse tema apresenta diversos aspectos que podem ser abordados ou discutidos. Se você ficou com alguma dúvida ou curiosidade sobre o assunto comente ou mande um e-mail para acaminhodamudanca@gmail.com

Por Marcela Pimenta Pavan
Psicóloga Clínica – CRP 05/41841
marcelapimentapavan@gmail.com


Anúncios
Esse post foi publicado em Psicologia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s