Como a opinião dos outros pode afetar a sua vida?

* Por: Viviane Lajter Segal

Quem nunca mudou de decisão baseado na opinião de outra pessoa? Quantas vezes não nos questionamos sobre qual seria a visão de alguém a respeito de um dilema que estejamos passando? De que forma a crítica do outro pode se tornar uma dádiva ou uma armadilha em nossas vidas?

Vivemos em sociedade e em grupo, dessa forma, somos observados e julgados o tempo todo por aqueles que estão a nossa volta. Figuras como pais, filhos, cônjuges, amigos e mestres, geralmente são os que apresentam maior influência emocional sobre nós.

Os sonhos, os planos para o futuro, os desejos e os projetos a curto e longo prazos fazem parte da vida. Porém, muitas vezes ao conversar sobre isso com alguém podemos nos ver desestimulados ou desacreditados.

Dependência emocional

A baixa autoestima e desconfiança sobre nosso próprio potencial pode nos paralisar ou limitar a busca por nossos ideais. Com a autoconfiança prejudicada, estamos mais propensos a criar uma relação de dependência com o outro que se torna, sem que percebamos, um guia ditando verdades absolutas para nós.

É difícil romper com as “profecias” que aqueles em quem confiamos pregam a respeito das nossas vidas. Agir em desacordo com elas e assumir os riscos requer coragem. Isso gera ansiedade, medo do fracasso e do arrependimento.

Porém, se não seguirmos em frente podemos sofrer uma frustração intensa ao percebermos que nos deixamos envolver pela opinião alheia e, dessa forma, desistimos de buscar os nossos sonhos.

Um bom conselho

É importante que tenhamos uma rede de pessoas em quem possamos confiar. Contar nossas histórias, compartilhar os anseios e pensar melhor sobre os assuntos. Isso nos acolhe, minimiza a sensação de solidão frente a um desafio e amplia a nossa visão sobre as escolhas que precisamos tomar.

Aconselhamentos e orientações também são bem vindos, uma vez que nos conforta e diminui um pouco o peso que uma decisão pode ter, além de permitir que esta seja realizada com maior segurança.

Devemos ouvir a opinião do outro, mas é preciso ter senso crítico para perceber se ela é realmente válida para nossa realidade e desejos.

“Confie em si mesmo!”

Viver é um desafio! Cada momento e cada fase são repletas de possibilidades, escolhas e transformações. Cabe a cada um de nós olharmos para dentro de si e perguntar o que queremos conquistar? Se as minhas atitudes e escolhas são honestas ou se estou tentando agradar alguém?

Para isso, tenha coragem e siga em frente! Busque escrever a sua história independente daquilo que os outros digam ou pensam sobre você.  Confie no seu potencial e nos seus desejos. Siga-os!

Gostaria de deixar uma reflexão sobre o assunto através do trecho da música Mais Uma Vez da Legião Urbana:

“Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena acreditar no sonho que se tem ou que seus planos nunca vão dar certo ou que você nunca vai ser alguém… Mas, eu sei que um dia a gente aprende se você quiser alguém em quem confiar. Confie em si mesmo!

* Viviane Lajter Segal é psicóloga clínica, CRP 05/41087. E-mail: viviane@lajter.net

 

Written by Viviane Lajter Segal all rights reserved.

Anúncios
Esse post foi publicado em a caminho da mudança, Análise, ansiedade, autonomia, Comportamento, escolha, família, filhos, frustração, insegurança, pais, Psicologia, Terapia, transformação e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Como a opinião dos outros pode afetar a sua vida?

  1. Ricardo Farbiarz disse:

    Muy interesante

  2. mone disse:

    Estou gostando muito desse blog, acho que vai me ajudar muito….

  3. Ana Queiroga disse:

    Olá Viviane,
    Achei interessante seu texto, veio em boa hora; vou resumir rapidinho, é que sofro um pouco com as opiniões do meu ex-marido, ele diz para nosso filho de 10 anos que não tenho condições de sustenta-lo, pagar uma boa escola e nem condições de comprar um carro, pois ele acha que eu não recebo o suficiente (e ele tem uma condição melhor que a minha). Não sei o que move ele a fazer isso, acho que é medo de q nosso filho escolha morar comigo ou se são feridas do passado; enfim, me sinto mal, quero q ele tenha a vida dele numa boa e que ele pare com isso… gostaria de não me deixar afetar por essa energia ruim q ele transmite, acho q contraí baixa auto estima e isso é péssimo… irei seguir esse conselho do seu texto… muito obrigada.

    • Olá Ana,
      Fico feliz de saber que o texto conseguiu promover tanto um acolhimento, quanto uma reflexão a respeito de uma situação tão delicada como essa que você descreveu.
      Esse é o principal objetivo do nosso trabalho no blog.
      Obrigada pelo seu comentário.
      Um abraço,
      Viviane

  4. vanessa disse:

    nossa fiquei impressionada com esse texto ,parabens para quem editou .isso ajuda muito no dia a dia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s