Por uma vida mais leve

* Por: Marcela Pimenta Pavan

Cada um conhece bem os problemas que tem. Relacionamentos, saúde, família, profissão. Mais cedo ou mais tarde as dificuldades surgem na vida de qualquer ser humano e nos vemos diante dos desafios buscando uma solução.

A cada vez que conseguimos lidar melhor com uma situação difícil, amadurecemos e crescemos emocionalmente. À medida que vivenciamos as experiências, precisamos desenvolver a coragem, a paciência e a compreensão de que as coisas são passageiras e que o importante é buscar viver da melhor forma possível.

Dentro desse pensamento, viver bem significa muitas vezes conseguir sair do papel de refém dos acontecimentos e transformá-los. Não é tarefa fácil, mas no dia a dia utilizamos, muitas vezes sem perceber, alguns recursos emocionais que facilitam o enfrentamento dos desafios e a sua superação.

O humor como recurso

Todas as situações possuem vários aspectos. Uma vez enquanto estava atendendo uma mãe, que tem um filho autista, ela me disse sobre o constrangimento social que o filho a fazia sentir. Ele se comporta diferente dos meninos da sua idade, é agitado, não brinca com os colegas, fala pouco. Repentinamente a mãe lembrou-se de um fato, começou a rir e disse “muitas vezes ele faz aquilo que eu gostaria de fazer e não posso, no fundo eu acho engraçado ver meu filho mandando as visitas embora lá de casa quando anoitece e ele quer dormir”.

Reconhecer que a situação tem outros lados, além do constrangimento, amplia a compreensão do momento e torna a história mais leve. O bom humor é um ótimo aliado. Não que a dificuldade social que a mãe tem com o filho não seja legítima, mas não é o único lado da história. Rir ajuda a olhar o problema de perto e vê-lo sob outro aspecto, diminuindo o peso e observando a situação de forma mais justa.

Os “Doutores da alegria” são um ótimo exemplo de como o bom humor pode ajudar nas situações difíceis. A missão do projeto é promover a experiência da alegria como fator potencializador de relações saudáveis por meio da atuação profissional de palhaços junto a crianças hospitalizadas, seus pais e profissionais de saúde.

Além das questões psicológicas, existem as questões fisiológicas. Quando nos divertimos, há uma maior liberação da serotonina no nosso organismo, responsável pela sensação de prazer. O estresse diminui e a imunidade aumenta. Ficamos também fisiologicamente mais preparados para lidar com o problema.

Como trazer mais bom humor para a sua vida

Você sabe o que te faz rir de verdade? E o principal, você consegue rir dos próprios defeitos ou de situações difíceis?

A ideia não é rir daquilo que não tem graça. Isso não adianta. A autenticidade precisa existir. Mas, para uma pessoa ter bom humor ela precisa antes reconhecer os defeitos de si mesmo, ou das situações que vive, e percebê-los de uma outra maneira. Isso, por si só, já é positivo do ponto de vista psicológico.

Conseguir rir e relaxar pode ser exercitado em nossa vida. Escolher estar perto de pessoas divertidas no dia a dia, buscar assistir filmes de comédia ou peças de teatro que tragam alegria. Conviver com crianças. Essas pequenas atitudes trazem contentamento ao cotidiano e consequentemente mais leveza e equilíbrio para enfrentar os desafios inevitáveis da vida.

*Marcela Pimenta Pavan, psicóloga clínica, CRP 05/41841. e-mail:marcelapimentapavan@gmail.com
 
Written by Marcela Pimenta Pavan all rights reserved. 
Anúncios
Esse post foi publicado em a caminho da mudança, bem estar, humor, psicóloga copacabana, Psicologia e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s