Como foi o seu ano? A importância da retrospectiva e da projeção pessoal.

Simplicidade-1024x614

*Por: Marcela Pimenta Pavan

O fim do ano é um momento propício para pensar no ano que passou. Dar uma pausa e encontrar maneiras de fazer uma reflexão sincera sobre os acontecimentos relevantes do ano, nos ajuda a fazer um balanço sobre o que valeu ou não a pena, e ampliar a percepção das experiências vividas.

Uma das maneiras de fazer essa reflexão é pensar nas áreas da vida separadamente, escrever e analisar sobre os campos mais importantes para cada um: familiar, profissional, saúde, espiritual, etc. Dessa forma fica mais fácil identificar os pontos fortes e fracos.

Depois disso é a hora de fazer uma retrospectiva para cada área. Para facilitar faça algumas perguntas: Quais foram as maiores conquistas nessa área? Como elas aconteceram? Qual foi a minha contribuição para isso?  Da mesma maneira faça sobre o aspecto oposto. Quais foram os meus maiores enganos nessa área? Como elas aconteceram? O que posso tirar de aprendizado disso?

Situações diversas, tanto ruins quanto boas, aconteceram. Durante um ciclo os dois aspectos estão presentes e a ideia é identificá-los e resgatá-los igualmente para construir um panorama mais completo e honesto.

Nesse processo é importante lembrar que todos nós estamos aprendendo. Faça uma avaliação imparcial, franca e gentil consigo mesmo, como se estivesse fazendo com um colega.

E como isso pode me ajudar?

A retrospectiva além de nos ajudar a fazer um balanço e ampliar a nossa percepção sobre a própria vida, nos auxilia a planejar melhor o próximo ciclo. O ano novo é a oportunidade do recomeço, é uma chance para fazermos diferente, direcionar a vida para aquilo que tem valor.

Por exemplo, se na retrospectiva da área familiar eu percebi mais enganos do que conquistas, concluindo que elas aconteceram porque eu me ausentei muito. Como posso estar mais presente em 2015?

Se na área afetiva eu vi que repeti enganos passados mesmo querendo fazer diferente, como em 2015 eu posso me conhecer melhor para não mais repetir e construir uma história nova?

Além de olharmos o futuro aprendendo com o que já passou, podemos incluir metas novas, pensando em como realizar desejos que dão alegria e disposição para a nossa vida. A projeção do ano deve ser como um mapa, que nos direciona os caminhos a percorrer.  É uma construção pessoal, por isso, o mapa deve ser personalizado com frases inspiradoras, cores que gosta, fotos de momentos especiais. Isso ajuda na motivação e na vontade de olhá-lo sempre. Faça um painel e coloque-o em um lugar visível para lembrar constantemente, e resistir à correria do dia a dia que nos afasta dos nossos objetivos.

Apesar de ser anual, é bom que o mapa seja ajustado a cada 6 meses, no máximo, se adaptando as surpresas e mudanças que a vida nos traz.

A intenção dessa atividade é nos conectar com aquilo que é realmente importante, que nos alimenta a alma. 2014 está terminando, que tal deixar nesse ano tudo aquilo que não serve mais e levar com você só o que realmente vale a pena! Feliz ano novo!

Marcela Pimenta Pavan é Psicóloga Clínica. Orientação Junguiana. Especialista em Família e Casal pela PUC-Rio. Trabalha com questões ligadas a relacionamentos, conflitos pessoais, ansiedade, depressão, carreira, envelhecimento, entre outras. Atendimento online: www.acaminhodamudanca.com.br. Consultório: Largo do Machado – R.J. Atendimento domiciliar. Contato: marcelapimentapavan@gmail.com 
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s